Home Saúde

0 813

Porto Canal
População de Baião em protesto por falta de médicos no centro de
Porto Canal
Mais de duzentas pessoas manifestaram-se contra a falta de médicos no centro de saúde de Baião. Um protesto convocado pelo autarca José Luís Carneiro, que aponta o dedo à Administração Regional de Saúde do Norte. twitter facebook Google plus …
Baião recorre ao tribunal para obrigar a ARS-N a colocar médicosJornal Médico

all 2 news articles »

Health – Google News

0 498

Move Notícias
Risco de leucemia é menor para crianças que foram amamentadas
Move Notícias
Um novo estudo concluiu que crianças que foram amamentadas quando bebés correm menos risco de desenvolver leucemia infantil, pois o leite materno possui muitos anticorpos e componentes que fortalecem o sistema imunológico. A leucemia é uma das …
Crianças que tomam leite materno tem menos risco de ter leucemiaRegiao Noroeste

all 3 news articles »

Health – Google News

0 521

Porto Canal
Falta de material interfere com o trabalho, denunciam os médicos
Porto Canal
Um estudo do ISCTE conclui que a maior parte dos clínicos inquiridos defende que o Serviço Nacional de Saúde não aguenta mais cortes. 80% dos médicos acha que as reformas afectaram a qualidade dos cuidados. Um estudo realizado pelo Instituto …
80% dos médicos do SNS consideram que cortes afetaram Esquerda
Há casos de doentes com cancro que abandonam os tratamentosA Bola
Há doentes oncológicos a deixar tratamentosJornal de Notícias
TVI24 -Diário de Notícias – Lisboa -Público.pt
all 33 news articles »

Health – Google News

0 482

Jornal de Notícias
Há casos de doentes com cancro que abandonam os tratamentos
A Bola
Um estudo, da autoria do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, revelado esta segunda-feira indica que quase quatro em cada dez médicos oncologistas consideram que os seus doentes têm faltado cada vez mais às consultas. «Os dados merecem …
Há doentes oncológicos a deixar tratamentosJornal de Notícias
Doentes pedem menos remédiosCorreio da Manhã
cerca de metade dos médicos do SNS aponta faltas recorrentes de Diário de Notícias – Lisboa
Público.pt -Observador -Açoriano Oriental
all 29 news articles »

Health – Google News

0 563

Diário de Notícias – Lisboa
cerca de metade dos médicos do SNS aponta faltas recorrentes de
Diário de Notícias – Lisboa
Cerca de metade dos médicos do Serviço Nacional de Saúde inquiridos num estudo com cerca de 3000 profissionais afirma que há faltas recorrentes de material nas instituições, apontando ainda um aumento do abandono de tratamentos por motivos …
Mais de 40% dos médicos dizem que falta de material está a Público.pt
Doentes faltam mais a consultas e até oncologia é afetadaDiário Digital
Salário extra oferecido a médicos reformados é inferior a 300 eurosNotícias ao Minuto
algarveNoticias.com
all 20 news articles »

Health – Google News

0 469

Renascença
Menos de 300 euros/mês são as “condições únicas” dadas aos
Renascença
Porque o Estado precisa deles, o ministro da Saúde decidiu chamar os médicos já reformados ao Serviço Nacional de Saúde (SNS). O objectivo é garantir médico de família a toda a população até ao fim da legislatura. Mas a proposta é vista como “uma …
Cerca de 65% dos médicos portugueses em formação ponderam Diário de Notícias – Funchal
65% dos novos médicos ponderam emigrarDiário de Notícias – Lisboa
Ordem preocupada com formandos de medicina que ponderam TSF Onlineall 34 news articles »

Health – Google News

0 487

Jornal de Notícias
Estudo revela que 65% dos médicos portugueses em formação
RTP
A maioria dos novos médicos portugueses pondera trabalhar no estrangeiro. Num inquérito feito pela Ordem dos Médicos a mais de 800 internos, 65 por cento admitiram emigrar depois de terminar a formação académica. O desejo de exercer Medicina fora …
Cerca de 65% dos médicos portugueses em formação ponderam Diário de Notícias – Funchal
65% dos novos médicos ponderam emigrarDiário de Notícias – Lisboa
Ordem preocupada com formandos de medicina que ponderam TSF Online

all 32 news articles »

Health – Google News

0 674

Sete médicos e investigadores foram distinguidos pela Fundação Champalimaud pelo desenvolvimento da terapia anti-angiogénica para doenças da retina, principal causa de cegueira na Europa.

O tratamento permite combater a degenerescência macular relacionada com a idade e a retinopatia diabética, as principais causas de cegueira na Europa.

Napoleone Ferrara, Joan Miller, Evangelos Gragoudas, Patricia D’Amore, Anthony Adamis, George King e Lloyd Paul Aiello são os distinguidos este ano com o Prémio António Champalimaud de Visão, pelos seus contributos no desenvolvimento do tratamento.

A terapia em causa, chamada anti-angiogénica ( e que visa impedir o crescimento de novos vasos sanguíneos), permite prevenir a cegueira ou recuperar parte da visão em doentes com retinopatia diabética ou degenerescência macular relacionada com a idade, em estado inicial.

Napoleone Ferrara, que há 25 anos identificou, isolou e clonou a proteína responsável pelo crescimento anormal de vasos sanguíneos, associada ao crescimento de tumores e a doenças da retina que levam à cegueira, disse à agência Lusa que o prémio, o maior na área da oftalmologia, representa “a validação e o reconhecimento” do trabalho feito em colaboração com outros investigadores.

Segundo o cientista italiano, da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos, a terapia usada após esta descoberta, e dos medicamentos com o inibidor da proteína sinalizadora, já permitiu tratar “milhões de pessoas” um pouco por todo o mundo.


Health – Google News

0 1289

Vacina contra a malária pode estar disponível a partir de 2015A farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) vai pedir uma primeira aprovação científica europeia para uma vacina contra a malária. O anúncio foi feito nesta terça-feira, depois de ensaios clínicos que considera “encorajadores”.

A malária, transmitida por mosquito, mata anualmente 655 mil pessoas, principalmente crianças africanas com menos de cinco anos.

A vacina da GSK, baptizada como “RTS,S” – uma de várias que estão a ser desenvolvidas – tem vido a ser trabalhada pela farmacêutica há três décadas e é apresentada como a mais avançada. Está a ser ensaiada numa parceria com a Malaria Vaccine Initiative (MVI – apoiada pela Fundação Bill e Melinda Gates).

Os primeiros resultados dos ensaios avançados, a chamada fase 3, feitos a mais de 15 mil crianças, apresentados nesta terça-feira, por ocasião de uma reunião médica em Durban, na África do Sul, são considerados encorajadores pela equipa do projecto.

Os dados obtidos divulgados referem uma eficácia de 46% – para um período de 18 meses – no caso de crianças que tinham entre cinco e 17 meses à data da primeira vacinação e de 27% para os que tinham entre seis e 12 semanas, disse à AFP o investigador principal do ensaio, Lucas Otieno, do Kenya Medical Research Institute Walter Read Project. “Os ensaios prosseguem e esperamos ter mais informações sobre a protecção a longo prazo durante o ano de 2014”, acrescentou.

A GSK pretende pedir em 2014 um parecer científico à agência europeia do medicamento, EMA, para esta vacina especialmente desenvolvida para crianças da África subsariana. Caso o parecer seja positivo, a Organização Mundial de Saúde poderia recomendar que fosse utilizada a partir de 2015, a custo reduzido, com uma margem de lucro de 5% para o fabricante, segundo informação do grupo farmacêutico.

Resultados da fase 2 de ensaios da “RTS,S”, divulgados em Março, tinham sido relativamente decepcionantes: apontavam para uma protecção de 43,6% no primeiro ano após a vacinação, mas a percentagem caía quase até zero após quatro anos. Estes dados foram obtidos a partir de testes a um número limitado de crianças numa região do Quénia onde se registaram variações nas características da epidemia da malária, explicou Lucas Otieno. No caso da fase 3, o ensaio foi feito em 11 lugares de sete países com diferente intensidade de transmissão de malária, acrescentou.

A malária, ou paludismo, é provocado por um parasita, o Plasmodium, que provoca febre, dor de cabeça e vómitos. Se não for tratado rapidamente pode levar à morte, por problemas de circulação. Em muitas regiões do mundo, os parasitas tornaram-se resistentes a muitos medicamentos criados para os combater.


Health – Google News

0 778

Cerca de 220 mil doses de vacinas contra a gripe vão ser distribuídas no final deste mês pelas farmácias, anunciou hoje a autoridade de saúde, indicando que a rutura de “stocks” nalguns estabelecimentos se deverá a dificuldades de produção.
A Direção-Geral da Saúde (DGS) manteve contactos com a Associação Nacional de Farmácias e as duas empresas farmacêuticas responsáveis pelas vacinas para avaliar a situação da falta de vacinas contra a gripe nalgumas farmácias comunitárias.
Em comunicado, a DGS indicou que uma nova remessa de 220 mil vacinas será distribuída no final deste mês, quantidade que pode não ser suficiente “para todos os cidadãos que habitualmente se vacinam, uma vez que a quota deste ano será inferior à da época passada”.
“A menor disponibilidade de vacinas, bem como a sua entrega faseada (em duas tranches, uma no inicio de outubro e outra no final de outubro) poderá estar relacionada com dificuldades de produção”, refere a DGS.
Segundo os números divulgados no início da campanha de vacinação, cerca de 800 mil doses de vacinas estariam disponíveis nas farmácias.
Contudo, apesar de uma menor quantidade nas farmácias, a autoridade de saúde lembra que mais de um milhão de vacinas contra a gripe estão disponíveis de forma gratuita nos centros de saúde para pessoas a partir dos 65 anos, acrescentando que “não há rutura no Serviço Nacional de Saúde”.
O comunicado reitera ainda que a vacina pode ser administrada durante todo o outono e inverno, portanto, que a vacinação pode ser feita para lá do mês de outubro.


Health – Google News

STAY CONNECTED